Lugar de mulher também é na cozinha

Lugar de mulher também é na cozinha

Calma mulherada! Não estamos falando da cozinha da sua casa! Sem machismo! A percussão é conhecida

como cozinha no meio do samba. E claro, não é um lugar somente de homens, muitas mulheres marcaram e marcam história e jogaram  muito tempero na cozinha do samba. 

Nesse texto, vamos falar sobre três grandes mulheres, que são unanimidades no meio e consideradas importantíssimas para a história do samba, são elas Jovelina Pérola Negra, Alcione e Beth Carvalho. 

Jovelina Pérola Negra: Uma das grandes damas do samba, Jovelina foi cantora e compositora, herdou o estilo de Clementina de Jesus. Jovelina fazia parte do Império Serrano e é uma das responsáveis por consolidar o pagode no Brasil, a mulata também era fera no partido alto. A cantora faleceu em 1998 devido a um infarto e deixou três  filhos, Renato, Cassiana e Cleyton, frutos do seu relacionamento com o jogador Nilton Santos. 

Beth Carvalho: Madrinha de muitos cantores e compositores, Beth dispensa apresentações. A cantora gravou sem 1° disco em 1965, a partir daí vários sucessos se eternizaram na voz de Beth Carvalho como ‘Vou Festejar’, cantado até hoje pelas torcidas nos estádios, ‘Coisinha do Pai, entre outras. 

Beth era frequentadora assídua de pagode como o Cacique de Ramos e ajudou a revelar vários grandes nomes do samba como o grupo Fundo de Quintal e os mestres Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Sombrinha, Arlindo Cruz, Jorge Aragão e Luís Carlos da Vila. Por isso, Beth é conhecida por muitos como ‘Madrinha do Samba’ e é uma das sambistas de maior prestígio no Brasil. A cantora segue fazendo shows e comemora seus 50 anos de carreira. 

Alcione: A ‘Marrom’ teve uma infância pobre, seu pai era compositor e ele lhe ensinou muita coisa. Alcione fez sua primeira apresentação aos 12 anso na Orquestra Jazz Guarany, seu pai era um dos integrantes, a cantora substituiu o crooner da orquestra. Alcione veio em 1968 para o Rio de Janeiro e começou cantando na noite carioca levada pelo cantor Everardo, a cantora se apresentou em boates como a Little Club, Barroco, 706 e a Bacarat, populares na época. 

No inicio dos anos 70, Alcione conheceu Jair Rodrigues em show da Blow-Up em São Paulo. Acompanhada de seus músicos, a cantora viajou pela Europa durante dois anos se apresentando principalmente na Itália. Na volta ao Brasil, apadrinhada por Jair Rodrigues ela gravou sem primeiro compacto e de lá pra cá eternizou vários sucessos e fez shows pelo Brasil inteiro e em vários países. 

Ainda podemos destacar Leci Brandão, Eliana de Lima, Matnália, Mariene de Castro, Aline Calixto, Roberta Sá, Nilze Carvalho, Thaís Macedo e Teresa Cristina. Com tantas sambistas consagradas é óbvio que lugar de mulher é na cozinha do samba!

admin

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *